Conecta UFPR: Prograd lança programa com foco em alunos egressos e evadidos; divulgue e participe

Fonte: Superintendência de Comunicação Social da UFPR 10 de agosto de 2020 – 18h29

Com o objetivo de acompanhar os estudantes que já passaram pela Federal do Paraná, a Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional (Prograd) lança o programa “Conecta UFPR”. Por meio de dois questionários on-line, a ação visa reunir informações para melhoria dos cursos e para subsidiar ações com foco em fortalecer o vínculo de alunos egressos e evadidos com a instituição. Participe e ajude a divulgar.

Quando a sequência de coleta, organização e análise dos dados for concluída, as coordenações dos cursos serão convidadas a conhecer os resultados e discuti-los com as equipes da Prograd e de outras pró-reitorias – com vistas ao planejamento e à avaliação de respectivas ações de gestão do ensino de graduação na Universidade. As pesquisas são inéditas na UFPR e experimentos-piloto com parte dos públicos foram realizados previamente.

Com a palavra, o Egresso

Como estão os formados pela Federal? De acordo com Edmar Almeida de Macedo, técnico em assuntos educacionais que atua na Unidade de Regulação e Avaliação Institucional da Coordenação de Políticas de Ensino de Graduação (Copeg), ter acesso a dados sobre a inserção dos profissionais no mercado de trabalho, o perfil sociodemográfico, a relação com a instituição, a trajetória profissional e a atuação na sociedade poderá contribuir para aperfeiçoar a formação e para o estudo de possibilidades para oferta de cursos de pós-graduação. A proposta é que o questionário para egressos seja preenchido uma vez por ano, para acompanhamento dos ex-alunos e atualização das informações.

Por meio das perguntas, a Universidade vai obter detalhes sobre experiências acadêmicas e profissionais dos alunos que já concluíram a graduação. As informações pessoais fornecidas não serão vinculadas às respostas. As escolhas de carreira e acadêmicas interessam à UFPR, que pretende desenvolver projetos para estreitar o vínculo com esses estudantes: convidá-los para os grandes eventos – como Feira de Profissões, Semana Integrada de Ensino, Pesquisa e Extensão (Siepe) -, eventualmente ofertar cursos que tenham relação com a trajetória profissional deles.

“Será um componente a mais para nos ajudar a pensar sobre a organização curricular dos cursos e toda nossa forma de ofertar a graduação. O grande mote é esse: onde está o ex-aluno? A UFPR quer saber de você – onde está, o que faz. Quer que você mantenha o vínculo”, afirma Edmar, procurador educacional institucional da Universidade.

É considerado egresso aquele cuja baixa no GRR (código de identificação do aluno) foi registrada pela conclusão do curso. Edmar destaca que a base de dados com e-mails dos egressos não está atualizada e, por isso, reforça que o engajamento da comunidade para divulgação dos formulários é fundamental. Para que a campanha chegue a estudantes que se formaram recentemente e também há mais tempo. “Quanto mais tempo ele se formou, mais chance de que o e-mail não esteja atualizado”, pontua.

De acordo com dados disponíveis no portal de indicadores numéricos de ensino, pesquisa e extensão da UFPR, 3.938 alunos concluíram a graduação em 2018. O quantitativo parcial de concluintes em 2019 – formaturas foram canceladas em função da pandemia de Covid-19 – é de 4.035. O número real deve ser apurado ao longo do semestre.

Trajetória dos Evadidos

De acordo com a última edição do Censo da Educação Superior realizada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas (Inep), dos 362.005 alunos que ingressaram nas Instituições Federais de Educação Superior (Ifes) em 2018, 64.567 (18%) fizeram o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) mais uma vez naquele ano, mesmo já frequentando uma Ifes. O relatório aponta o fato como uma evidência de que esses estudantes buscaram mudar de curso ou de instituição. Fenômeno que potencializaria a desistência e a criação de vagas remanescentes.

“Conforme os Indicadores da UFPR, em 2018 evadiram 2.613 estudantes. Em 2019, esse número subiu para 3.449. Se a esse quadro agregarmos o contexto atual de isolamento social determinado pela pandemia, temos um agravamento significativo da possibilidade de continuação do crescimento dos índices de evasão”, alerta Viviane Vidal Pereira dos Santos, assistente em administração da Coordenação de Projetos e Análise Curricular (Copac). O Parecer nº 05/2020 do Conselho Nacional da Educação (CNE), aprovado em abril, sinaliza a preocupação do órgão com a educação básica e superior e os níveis de evasão durante a pandemia.

O objetivo da pesquisa com os evadidos é propor uma escuta qualificada do estudante que não concluiu o curso de graduação e, dessa forma, identificar e mapear as variáveis do fenômeno da evasão na UFPR. O material poderá subsidiar gestores universitários para o aprimoramento de ações de promoção da permanência estudantil e de flexibilização e adequação curriculares.

Compreender o motivo da saída do aluno, sua condição financeira, se houve divergências com docentes, conhecer a visão sobre o curso e verificar se há interesse em retomar os estudos são objetivos da ação. “O questionário foi construído com base em critérios metodológicos rigorosos, observando os preceitos éticos requeridos para a pesquisa científica com seres humanos. Trata-se de um questionário semiestruturado, com perguntas fechadas seguidas de perguntas abertas”, complementa Viviane. O respondente avaliará o corpo docente, a estrutura e a organização do curso, as políticas institucionais e fará uma autoavaliação da experiência e do desempenho como estudante.

De acordo com a técnica da UFPR, o esquema conceitual que norteia a definição operacional e que irá balizar a análise dos dados no âmbito da pesquisa consiste em um modelo de análise que relaciona a evasão a um conjunto de fatores – estruturais socioeconômicos, institucionais, pessoais e educacionais.

A população de referência da pesquisa é constituída por todos os alunos matriculados nos cursos de graduação da UFPR desde 2003 que evadiram do curso. Enquadram-se no grupo os estudantes que tiveram o GRR cancelado – casos em que não houve formatura ou trancamento.

A identificação desses estudantes ocorreu por meio do Sistema de Informações para o Ensino (SIE), no qual constam, além dos dados que se referem diretamente à evasão, outras variáveis que interessam à pesquisa: dados cadastrais do aluno, Índice de Rendimento Acadêmico (IRA), histórico escolar e formação, dados da matrícula, entre outras.

Ao fazer a primeira filtragem no SIE, a equipe da Prograd identificou 88.000 estudantes com registro de alguma forma de evasão não relacionada à formatura, informa Viviane. “Na segunda filtragem, foram excluídos os estudantes com mais de uma forma de evasão ou sem e-mail cadastrado, ficando em 36.000. Esses são o público-alvo da pesquisa”.

O questionário, elaborado por meio da ferramenta Microsoft Forms – que faz parte do Pacote Office 365 disponibilizado pela UFPR – será enviado por e-mail para todos os estudantes que evadiram e que tenham correio eletrônico registrado no Sistema. A pesquisa irá ouvir os estudantes que evadiram até 2020. “A proposta é que, futuramente, a cada semestre, o sistema acadêmico identifique o desligamento do estudante e envie o questionário, de modo a termos uma resposta mais rápida dos motivos que o levaram a abandonar a instituição”, informa a técnica da Copac.

A equipe envolvida com a iniciativa relacionada aos estudantes evadidos atua na Unidade de Projetos da Coordenação de Projetos e Análise Curricular da Prograd e, desde o início deste ano, estrutura um conjunto de ações para compreender o fenômeno da evasão na UFPR.

Acesse a página do Programa Conecta UFPR e os questionários aqui.

Manual de Estágios

Calendário Acadêmico

Manual do Estudante